pt-brfren
  • Dermatite atópica

    Dermatite atópica

    A Dermatite Atópica (DA) é um problema de pele bastante comum (acredita-se que até 15% das pessoas vão manifestá-la alguma vez na vida) e que costuma incomodar bastante quando não tratada adequadamente. Como se trata de uma doença prolongada – geralmente começa na infância e 40% persiste após a adolescência – as pessoas acabam descobrindo formas de conviver com ela e a maioria convive muito bem!

    O que é a DA?

    É uma doença de pele que pertence ao mesmo grupo de outras doenças alérgicas como a rinite alérgica e a asma. A este grupo de doenças damos o nome de ATOPIA. Os pacientes com DA apresentam coceira na pele, pele seca, e lesões avermelhadas e descamativas que chamamos de ECZEMA.

    Qual é a causa da DA?

    Até hoje a causa é desconhecida. Sabe-se que é uma doença hereditária. Quem tem um dos pais com atopia (asma, rinite ou DA) tem 25% de ser atópico. Se os dois pais forem atópicos, essa chance sobe para 50%.

    Não é uma doença contagiosa. Então, as pessoas com DA não devem ser impedidas de frequentar nenhum local pela doença.

     Como é a DA?

    Na infância costuma ser um pouco diferente da fase adulta. Em bebês e crianças pequenas, o eczema está mais presente no rosto, tronco e no lado de fora dos braços e na frente das pernas. Nos adultos, as lesões costumam  concentrar-se nas dobras: pescoço, braços e pernas. Além disto, a pele dos atópicos costuma ser mais seca que a pele da maioria das pessoas.

    Nos casos mais graves, toda a pele pode estar acometida e o paciente sente bastante coceira.

    Como deve ser o cuidado da pele de quem tem DA?

    A pele dos atópicos é bastante especial e sensível, além de ter muito mais tendência ao ressecamento. Por isto é importante tomar bastante cuidado para manter a hidratação natural da pele.

    Durante o banho é bom evitar medidas que retirem a gordura protetora da pele. São elas:

    – Tomar banhos demorados e com água quente. É sempre melhor dar preferência a duchas rápidas e com água morna. Nas regiões mais frias do Brasil, vale a pena deixar o banheiro pré-aquecido e tomar banho nas horas mais quentes do dia, para que não seja necessário aumentar a temperatura da água para não sentir frio!

    – Uso excessivo de sabonete. O sabonete deve ser reservado para as áreas do corpo que produzem mais cheiro, como pés, genitais e axilas. O ideal é que o restante do corpo seja lavado apenas com água. Atualmente existem géis para banho mais suaves, chamados de syndets, que não agridem tanto a pele do atópico quanto o sabonete

    – Não usar buchas no banho. A bucha é um removedor potente da gordura da pele e vai acabar agravando ainda mais o ressecamento.

    – Aplicar um bom hidratante, de preferência sem perfume, em todo o corpo, com a pele ainda úmida, após o banho. Assim a absorção do creme pela pele será maior que com a pele já seca.

    Quais são os principais fatores irritantes para a pele?

    Como já comentei, a pele de quem tem DA costuma ser bem sensível. Assim, algumas substâncias que não irritariam a pele da maioria das pessoas pode gerar bastante coceira para quem é atópico….

    Normalmente sugiro não começar a usar muitos cosméticos novos de uma vez só. Para quem gosta de maquiagem, por exemplo, o ideal é iniciar uma base de cada vez, usar por algumas semanas, e, caso não haja irritação, só então partir para o produto seguinte.

    Produtos de limpeza, resíduos de sabão e amaciantes nas roupas, tudo isso pode gerar coceira. Então, o ideal é usar luvas para fazer os serviços domésticos e enxaguar bem as roupas antes de colocar para secar.

    As roupas de algodão costumam ser mais bem toleradas. Tecidos sintéticos e lã geralmente “pinicam” um pouco a pele de quem tem DA. Em geral vale a pena evitar!

    Muita gente também reclama de maior sensibilidade a poeira do ambiente e a fumaças. Até porque muitos pacientes com DA podem ter também rinite alérgica ou asma. Então, manter a casa livre de carpetes, cortinas, tapetes, bichos de pelúcia e outros objetos que acumulem poeira sempre ajuda. E, claro, não fume e  fuja da fumaça!

    Preciso mudar a alimentação se tiver DA?

    Atualmente não se recomenda alterar a alimentação dos pacientes com dermatite atópica. Sabe-se que apenas 10% das crianças com menos de 5 anos tem algum benefício na doença com a mudança na  alimentação. Por isto, é muito raro que o médico indique alguma doença para ajudar no tratamento da DA. No site da AADA (Associação dos Amigos da Dermatite Atópica) existe uma cartilha bem interessante que explica melhor a relação da DA com a alergia alimentar. Vale a pena ler!

    Quando o tempo muda a DA piora?

    Sim. Normalmente no inverno a pele costuma piorar por dois motivos: tempo mais seco e banhos mais quentes e demorados. Por isto, os cuidados com a pele devem ser redobrados nesta época. Já no verão, algumas pessoas sentem coceira após transpirarem um pouco mais.

    É importante lembrar que a dermatite atópica não contraindica atividades físicas nem a frequencia a praia ou piscina. Como o cloro das piscinas pode ressecar e irritar um pouco a pele, recomenda-se, após os mergulhos, tomar uma ducha de água sem cloro.

    Tratamento

    O tratamento da dermatite atópica baseia-se, principalmente, na hidratação da pele, no controle da coceira e da inflamação.

    Existem tratamentos específicos para cada idade, fase da doença e tipo de pele. Por isto, nunca se automedique. Procure sempre um bom dermatologista, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

    Para mais informações, não deixe de visitar o site da Associação de Amigos da Dermatite Atópica

    Deixe um Comentário →

Photostream