pt-brfren
  • Pele das crianças – como cuidar?

    Pele das crianças – como cuidar?

    A pele é o maior órgão do nosso corpo, e também o mais exposto a agressões do meio ambiente. Com toda a energia que nossos pequenos tem, às vezes é a pele deles que acaba sofrendo, com queimaduras, machucados e alergias.

    Saiba como reconhecer e cuidar das principais queixas dos pequenos!

    Queimadura solar

    Esse é um problema bastante comum no verão, mas que pode ser evitado em 100% dos casos! Hoje já se sabe que o câncer de pele, principalmente o melanoma, está associado a queimaduras solares na infância. Então, não perca tempo e proteja o seu pequeno!

    A partir dos 6 meses de idade, o uso de filtro solar está permitido. O ideal é optar pelos filtros infantis, que tem menos componentes químicos que os filtros para os adultos. De uma forma geral, deve-se usar fator de proteção 30 ou superior e reaplicar a cada 3 horas. O horário entre as 10 da manhã e 3 da tarde deve ser evitado. Existem hoje roupas e chapéus com fator de proteção solar, que também são uma boa opção!

    Mas se esses cuidados foram esquecidos e a queimadura já aconteceu, o que fazer?

    Evitar nova exposição ao sol até que o problema esteja resolvido.
    Oferecer bastante líquido – esse cuidado ajuda a prevenir desidratação causada pelas queimaduras.
    Usar cremes pós sol podem ajudar a dar conforto e aliviam a dor
    Preste atenção aos sinais de alerta: se surgir febre, sonolência ou bolhas na pele leve o pequeno ao médico!
    Picada de insetos

    Outro problema típico das férias, as picadas de inseto afetam grande parte das crianças, principalmente as alérgicas ou com pele mais sensível.

    Para evitá-las, alguns cuidados devem ser tomados:

    Não deixe as crianças brincarem descalças. Isto evita picadas de formigas, aranhas e outros insetos que vivem no chão.
    O uso de repelentes é permitido para crianças acima de 6 meses. Antes disso, existe um risco de a pele absorver o produto, o que pode ser tóxico para o bebê.
    Se a sua casa tem muitos pernilongos, podem ser usados repelentes elétricos e os antigos cortinados, que são tecidos colocados nos berços e camas. Usar telas com tramas finas nas janelas também pode ajudar.
    Não se esqueça que água parada é criadouro de insetos, dentre eles o mosquito da dengue! Livre-se dela!
    Quando a picada já aconteceu, o que fazer?

    Imediatamente depois da picada a criança pode se queixar de dor ou coceira no local. Uma medida bem simples e que alivia bastante é colocar um pouco de gelo sobre a picada por alguns minutos. Os sintomas vão melhorar rápido.
    Pergunte ao pediatra ou ao dermatologista quais são os remédios que você pode dar nesse caso. Nem todas as crianças podem tomar antialérgicos ou usar todos os tipos de pomada. Vale a pena estar prevenida e saber o que usar antes que as picadas ocorram!
    Machucados em geral

    Quando uma criança se machuca levemente, por exemplo, um corte superficial, uma “raladinha” ou uma queimadura pequena é muito comum os pais não saberem direito o que fazer e acabarem colocando no ferimento produtos que podem até retardar a cicatrização.

    A primeira coisa que se deve fazer é lavar a ferida com água e sabonete ou com soro fisiológico. Este cuidado evita que haja infecções por bactérias no ferimento. Depois de secar com uma toalha limpa, pode-se cobrir com um curativo pronto (do tipo “band-aid”) ou com gaze e esparadrapos. O curativo deve ser trocado e a ferida deve ser lavada diariamente.
    Evite substâncias agressivas, como povidine, clorexidine e água oxigenada. Esses produtos servem para limpeza da pele íntegra, e pode retardar a cicatrização das feridas.
    Jamais use medidas caseiras, como colocar açúcar, café e outros.
    Caso ache que a ferida foi muito grande ou está sangrando em excesso, o ideal é procurar um pronto-socorro. Pode ser que seja necessário dar alguns pontos para resolver o problema.
    Se você está cuidando do machucado, mas percebe que ele não está melhorando, está ficando avermelhado, dolorido ou saindo secreção, fique atento! Esses sinais podem significar infecção! Procure o pediatra ou o dermatologista e peça orientações!
    Pele Seca

    Muitas crianças sofrem com a pele ressecada, principalmente no inverno. Este problema pode ser leve e isolado ou pode fazer parte de um tipo de alergia de pele, que se chama Dermatite Atópica, em que, além da pele seca, as crianças têm áreas avermelhadas e bastante coceira na pele.

    Independente da causa da pele seca, os sinais são sempre parecidos: a pele fica mais esbranquiçada, perde o brilho e pode descamar e coçar. No inverno o problema se agrava porque, além de o tempo ser naturalmente mais seco, as crianças costumam passar mais tempo no banho quente.

    Para evitar o problema, siga estas recomendações:

    Evite banhos longos e quentes. A temperatura da água deve ser morna, pois a água quente remove a camada de gordura natural da pele.
    Use pouco sabonete e não use buchas. Esses cuidados também servem para preservar a oleosidade natural da pele. O sabonete deve ser hidratante e usado apenas nas regiões mais necessárias, como pés, axilas, rosto e região genital. O restante do corpo pode ser lavado apenas com água.
    Pingue algumas gotas de óleo de banho na água da banheira. Para crianças que tomam banho de banheira, colocar óleo na água ajuda a repor a camada de gordura da pele.
    Invista na hidratação depois do banho. O momento ideal para passar o hidratante é logo após o banho e com a pele ainda úmida. Assim o creme será absorvido melhor pela pele!

    Deixe um Comentário →

Photostream